terça-feira, 26 de agosto de 2014

Capítulo 35 – “Dúvidas”

(Joana)

Chegamos a casa dele e comecei a provoca-lo como nunca tinha feito antes, mas o Nolito não deixava as coisas descambarem, continuei a provoca-lo e lembro-me de até o ter despido.
Mas o álcool já era tanto que não me lembro de nada. Só sei que acordei nos braços do Nolito praticamente sem roupa…
O que se teria passado? O Nolito ainda dormia profundamente e era visível que apenas se encontrava com os boxers vestidos, e eu…eu também estava de roupa interior. As nossas roupas estavam espalhadas pelo chão, mas a angústia de termos tido a nosso primeira vez e eu não me lembrar era horrível.
Ele finalmente acordou e encontrou-me a olhar para ele, sorriu-me. Ele parecia estar feliz, teria acontecido alguma coisa? Até tinha medo de lhe perguntar…
Nolito – Bom dia amor. Dormiste bem?
Joana – Sim dormi, dói-me a cabeça!
Nolito – Eu vou arranjar o pequeno almoço e um medicamento para isso! Vai tomar banho princesa.
Assim fiz, queria mesmo esclarecer a minha dúvida, mas tinha muita vergonha de perguntar… Demorei bastante tempo no banho, prova disso foi que o Nolito voltou a fazer as torradas assim que cheguei à cozinha, porque as outras já estavam frias.
Nolito – Aqui tens tudo o que gostas, sumo, leite e torradas!
Joana – Obrigada amor.
Nolito – Ontem perguntei ao pessoal se sabiam de algum trabalho para ti…
Joana – E então?
Nolito – O Ruben disse-me que a mãe precisava de alguém para a receção do Spa, se estiveres interessada e só dizer-lhe, mas se quiseres outro tipo de trabalho podemos procurar!
Joana – Eu não estou muito interessada por agora em procurar muitos, eu preciso de dinheiro por isso vou falar com o Ruben. Eu quero ter dinheiro para me sustentar, quero sair de casa do Fábio e da Caty, quero ter o meu espaço.
Nolito – Amor, sabes que se precisares de dinheiro eu posso ajudar-te não sabes? Nós não namoramos assim à muito tempo, mas tudo o que eu tenho acaba por ser teu!
Joana – Oh amor, não é bem assim! Tu não tens obrigação de me dar nada e eu também não quero depender de ninguém.
Nolito – Ju promete-me que se precisares de dinheiro para alguma coisa me pedes!
Joana – Oh, até posso prometer, mas não será minha ideia usar o teu dinheiro!
Continuamos a tomar o pequeno almoço e no final fomos até ao quarto para trocarmos de roupa. Queria ir falar com o Ruben o mais rápido possível! Já estava o Nolito a abrir a porta da rua quando eu a fechei!
Joana – Amor…antes de sairmos eu gostava de falar contigo! – disse envergonhada.
Nolito – O que é que se passa princesa?
Joana – Eu ontem não vim para aqui nas melhores condições…e a prova disso foi as atitudes que tive contigo durante o caminho e mesmo quando chegamos! Não era a verdadeira Joana ontem e lembro-me de te ter provocado muito…- confessava envergonhada – e lembro-me também de te ter  despido e de resto o que sei é nada!
Nolito – Estás preocupada com o que possa ter acontecido é isso?
Joana – Estar preocupada não é o termo correto, até porque eu sei que te amo e que mais dia menos dia me vou entregar a ti…o meu problema é que se ontem foi a nossa primeira união eu não me lembro, e isso deixa-me triste!
Nolito – Podes tirar essa tristeza está bem?! Ontem tu provocaste-me…é verdade! Também é verdade que bebeste demais, e que te desinibiste de uma forma que nunca havia ocorrido comigo, mas eu não estava bêbedo, e por isso apesar de ser muito difícil, eu consegui resistir! Tu apagaste e por isso não te lembras e aquilo que eu fiz foi deitar-te na cama e deitar-me a teu lado. – agora sentia-me mais aliviada e orgulhosa dele por me ter respeitado – quer dizer não foi bem assim…antes de me deitar ainda tive de tomar um banho de água gelada – confesso embaraçado.
Joana – Obrigada amor, por me teres respeitado, por não te teres deixado levar e quanto ao resto desculpa! Para a próximo não bebo tanto e pode ser que tenhas sorte.
Acabamos por sair finalmente de casa em direção a casa do Ruben.

(Rodrigo)

A Caty pediu para não tocarmos mais no assunto, apesar de tudo era difícil não me lembrar da raiva que sentia por aquilo que aquele atraso fez com a minha menina e não era o único! Todos naquela sala estávamos preocupados com a minha princesa, mas ao mesmo tempo todos a queríamos respeitar e mudar o rumo da conversa que ia naquela sala.
Acabou por ser ela a mudar de assunto, informando o Fábio e a Andreia que eu iria dormir ali e aproveitou para convidar a minha irmã a ficar também. O Fábio aproveitou para desanuviar o ambiente metendo-se com a Catarina, afirmando que ela queria era festa, mas ela estava tão cansada e triste que nem continuou com a sua picardia.
Catarina – Olhem joguem um bocado de playstation ou vejam um filme que eu vou tomar um bom banho.
Andreia – O que vale é que amanha é sábado e que estes meninos só tem treino à tarde, senão queria ver quem se iria levantar daqui a umas horas – observou a Andreia ou não fossem quase três da manha.
Fizemos com a minha princesa nos disse, eu e o Fábio jogámos um jogo enquanto que a Andreia e a Mariana escolheram um filme para vermos. A Caty acabou por aparecer e demos inicio à sessão de cinema! Ao inicio foi difícil a minha princesa se concentrar, mas ao fim de uns minutos, bem aconchegada a mim acabou mesmo por relaxar e adormecer. Ao apercebermo-nos disse acabámos mesmo por desligar a televisão, a Andreia fez a cama para a minha irmã e eu levei a minha pequenina para o quarto.
Assim terminou uma noite bastante atribulada, esperemos que o acordar seja bem relaxado e que o meu amor não se relembre do que aconteceu.

Como será o acordar?
Irão a Nolito e a Joana dar um novo passo na relação?

Olá meninas!
Eu sei que já não publico há imenso tempo, mas tal como algumas de vocês sabem a falta de inspiração não ajudam…
No entanto com a ajuda da Fii *.* , com as ideias fantásticas que me deu, acho que vou conseguir continuar a escrever.
Este capítulo está pequenino, mas o próximo prometo que irá ser maior.
Deixem a vossa opinião!
Beijinhos

Ritááá xD

segunda-feira, 14 de abril de 2014

Capítulo 34 – “Rodrigo, ouve a tua namorada!”


(Catarina)

Antes que me pode-se explicar o Rodrigo pegou no seu casaco e saiu da discoteca. Não esperava aquela reação dele, mas assim que ele saiu vi o Miguel sair disparado atrás dele, por isso eu segui para fora com eles, não quero que aqueles dois se falem, e muito menos que aconteça alguma coisa ao Rodrigo….


(Rodrigo)

Não sei bem o que me deu, nunca fui de ser ciumento, mas o facto da minha namorada estar nervosa, aos segredinhos com o Fábio e não parar de olhar para aquele rapaz e ele para ela não consegui ficar ali dentro e acabei mesmo por ser bruto com ela.
Vim para fora da discoteca talvez para tentar apanhar ar e acalmar-me mas ouvi alguém a falar para mim:
Miguel – Então, és o novo namorado da atrasada da Caty? – olhei-o e era aquele homem, para quem ela olhava. Eles já se conheciam? Mas que atrevimento o dele de falar dela assim!
Rodrigo – Mas quem és tu para falares assim dela?!
Miguel – Oh então ela não te contou? Não sabes da nossa grande história de amor? – aquela conversa estava a deixar-me ainda mais irritado.
Rodrigo – Não, não me falou de ti, não deves ser assim tão importante para ela – atirei.
Miguel – Não é o que parece. Sabes a nossa história acabou por causa dela! Ela deixou-me louco e eu bati-lhe. Ela mereceu!
Rodrigo – O que? Tu és louco? Bateste na Caty?! Tu és um nojento como é que bates numa mulher e tens coragem de te gabar disso?!  - a conversa agora tinha descambado como é que este animal tinha feito mal à minha menina e ainda se atrevia a gabar-se. A raiva foi tanta que não resisti e espetei-lhe um murro, mas nem assim aquele sorriso nojento lhe saiu da cara.
Miguel – Então, então. Calma aí jogadorzeco, agora até entendo como estão juntos, foi o priminho dela que se arma em defensor dela que vos juntou. Que lindo! Mas não deves ficar com ela muito tempo, até porque ela não vai dar-te tão depressa o que tu queres e o que eu quero…Sexo – contou a rir – tanta espera e tanto controlo dela levou-me a dar-lhe uma tareia para ver se ela aprendia.
Agora ele tinha ido longe demais! Que ordinário, como é que se atreve a falar assim da Caty como se ela fosse uma boneca sem sentimentos, como se os sentimentos por alguém não importassem e apenas fosse importante levar uma mulher para a cama. Perdi completamente a cabeça e comecei a bater nele com imensa raiva. Era impossível tolerar ouvi-lo falar assim da minha namorada, da mulher que amo e com quem quero ficar para sempre. Não ia ser aquele monstro que a ia perturbar mais e muito menos que a ira fazer sofrer novamente.
No meio daquela confusão ouvi a voz da Catarina que me começou a puxar e o Fábio agarrou o outro.
Catarina – Por favor amor, não andes a lutar com quem não merece – implorava-me enquanto me tentava agarrar, tarefa que eu não estava a facilitar. A minha irmã veio ajuda-la a segurar-me, mas ainda assim consegui soltar-me e bater novamente no outro idiota que agora tinha perdido o sorriso.
Mariana – Rodrigo, ouve a tua namorada, para com isso, tu não és de andar à luta com ninguém, és uma pessoa calma!
A minha princesa chorava cada vez mais desespera e ouvi-la chorar daquela maneira fez-me olha-la. Ela estava sentada no chão completamente desesperada. Ainda vi o Fábio a levar o outro atrasado ao segurança da discoteca e fui ter com a Catarina, ela precisava do meu apoio.
Rodrigo – Desculpa amor, ele irritou-me muito como o que disse e não consegui não lhe bater…vem cá – puxei-a para os meus braços para ela se acalmar. – Vamos embora daqui.
Andreia – É melhor isto já deu o que tinha a dar. Vou só mandar uma sms à Joana porque ela o Nolito o Ruben e o David estão lá dentro e não sabem de nada.
Levantei a minha princesa que continuava a chorar e fomos para o carro. O Fábio e a Andreia foram no carro deles e eu a minha princesa e a Catarina no meu.
Durante a viagem não ouvi uma única palavra dela. Estava a ficar assustado, estaria ela ficado chateada por eu ter batido no outro? Significará ele ainda coisa para ela?
Chegámos a casa do Fábio, a minha irmã saiu logo e vi que a Catarina ia sair também, no entanto puxei-a carinhosamente para mim.
Rodrigo – Estás chateada comigo? Eu fui um idiota por ter falado contigo daquela maneira na discoteca.
Catarina – Não…
Rodrigo – Amor, por favor, não consigo ver-te assim, nós precisamos falar do que aconteceu!
Catarina – Rodrigo eu só quero esquecer tudo. Não quero lembrar-me do que sofri, não quero sofrer por causa do que se passou à uns anos atrás.
Rodrigo – Eu não vou obrigar-te a contar-me, aliás pelo que aquele atrasado disse da boca para fora entendo que tenha sido muito doloroso…
Catarina – Ele…ele chama-se Miguel. Foi o meu primeiro namorado. Quando o conheci apaixonei-me por ele por causa da sua maneira de ser, era muito carinhoso comigo. Mas o Fábio e a Andreia sempre me disseram que ele não parecia ser a pessoa que eu via e pensava conhecer. Andavamos sempre juntos e eu chegava a mentir aos meus pais para ir dormir várias noites a casa dele. Mas… – ela fez uma pausa percebi que estava a ser doloroso relembrar mas ao mesmo tempo ela queria faze-lo, agarrei na mão dela e ela continuou – Apesar de eu dormir muitas noites com ele, nunca consegui entregar-me a ele, apesar das muitas tentativas dele. Andámos quase um ano, e a faltar uns dias para fazer um ano, eu fui ter com ele a casa dele e ele estava nervoso, diferente, falou-me mal e disse que já não me suportava, que eu era a pior pessoa do mundo e que nem sequer satisfaze-lo como um homem consegui, e por estes motivos e outros bateu-me várias vezes para me castigar. O fim da nossa relação segundo ele era culpa minha. Sai de casa dele negra e a chorar e fui para casa do Fábio. Ele ao ver-me naquele estado percebeu que tinha sido ele e com a ajuda da Andreia e da Joana ajudaram-me a tratar dos hematomas.
Rodrigo – Amor, ele é que é louco, ele se te ama-se tinha esperado por ti, tinha-te respeitado e nunca te teria batido. Ele é um nojento, um cobarde. Homem que é homem não bate em mulheres.
Catarina – Eu agora sei disso, mas na altura eu acreditei que a culpa era mesmo minha, martirizei-me por o ter controlado demais e por não lhe ter dado o que ele tanto queria. Cheguei a considerar não ser uma mulher adequada a ter mais nenhum namorado pois não o saberia fazer feliz. Mas com o tempo e com as inúmeras conversas com os meus pais, os meus amigos e com o Fábio especialmente, entendi que nada daquilo era verdade e que apenas estava cega pelo amor que sentia por ele.
Rodrigo – Ainda bem que percebeste isso princesa. Tu és linda, uma namorada perfeita, muito carinhosa, compreensiva, defendes-me com unhas e dentes, e eu amo-te como nunca amei ninguém. Tu conheces-me, eu não sou de me meter em brigas nem em conflitos com ninguém, mas aquilo que eu ouvi da boca dele, foi impossível não lhe bater, faze-lo arrepender-se de falar de ti daquela maneira.
Catarina – Eu percebo, eu já fiz isso por ti, sei o que sentiste, mas não quero que voltes a fazer o mesmo, nós chegamos a tempo, ele poderia ter-te magoado e eu não me perdoaria!
Rodrigo – Já passou e não se vai voltar a repetir, eu prometo. Não quero voltar a ver-te chorar desta maneira e muito menos ver-te a sofrer.
Catarina – Não se volta a repetir amor. Fica comigo esta noite por favor.
Rodrigo – Eu fico amor, mas tenho de levar a Marina primeiro a casa.
Catarina – Se ela não se importar pode dormir na sala.
Saimos do carro, eles estavam na sala a ver televisão, mal entramos olharam-nos e a minha princesa sorriu.
Fábio – Assim está melhor, gosto muito mais desse sorriso!
Andreia – É isso mesmo! Ainda bem que acabou tudo bem.
Mariana – Foi horrível, nunca vi assim o meu irmão.
Rodrigo – Eu não pude ficar quieto, ao ouvi-lo a ofender a minha namorada.
Fábio – Podes ter a certeza, se não batesses tu, batia-lhe eu.
Catarina – Já chega deste assunto. Mariana o Rodrigo vai ficar cá esta noite, se não te importares de dormir no sofá podes ficar também.
Mariana – Claro que não me importo!

(Joana)

Entramos na discoteca e já la tava o David e o Rodrigo, sentamos-nos pedimos umas bebidas. Pouco tempo depois vi o Rodrigo a Catarina, o Fábio, a Andreia e a Mariana a saírem. Continuei a dançar com o Nolito se tivesse acontecido alguma coisa ele iriam dizer-nos. A noite estava bastante animada e confesso que o álcool me estava a libertar bastante. Ao fim da noite já beijava o Nolito de forma bastante desinibida. Os rapazes até mandavam algumas piadas, mas o Nolito defendia-me sempre.
Quando estávamos para ir embora é que li a mensagem da Andreia a dizer que iam para casa. Como o álcool já me tinha subida à cabeça à tempo autoconvidei-me a passar a noite com o Nolito, uma noite que me parecia acabar de uma forma bastante animada.
Chegamos a casa dele e comecei a provoca-lo como nunca tinha feito antes, mas o Nolito não deixava as coisas descambarem, continuei a provoca-lo e lembro-me de até o ter despido.
Mas o álcool já era tanto que não me lembro de nada. Só sei que acordei nos braços do Nolito praticamente sem roupa….

O que se terá passado na noite anterior entre o Nolito e a Joana?
Será que o Nolito resistiu?
E o acordar da Catarina e Rodrigo como será?

Olá meninas : )
Aqui está mais um capitulo! Não ficou bem como eu queria e por isso mesmo espero que gostem e me deixem a vossa opinião.
Não posso deixar de agradecer a todas as pessoas que me apoiaram durante este tempo que estive ausente, foram fantásticas e deram-me imensa vontade de continuar.
Este capítulo tal como já tinha prometido é dedicado à Rita Martins, por todo o apoio dela!
Quero também incentivar-vos a lerem a nova fic que ela está a escrever, ou melhor a reescrever, certamente será um grande sucesso como todas as suas anteriores histórias. Vai até lá, leiam, deixem a vossa opinião e sigam.

Beijinhos

Ritááá xD

sexta-feira, 11 de abril de 2014

Capítulo 33 – “ Não queres ir dançar com ele?”


(Joana)

Nolito – Se quiseres eu pergunto ao pessoal se sabem de algum emprego para ti!
Joana – Se não for muito incomodo agradecia.
Acabámos por almoçar por ali, e depois de passearmos mais um pouco e namorarmos, o Nolito foi a casa buscar o saco do treino e seguimos para o seixal.
Para meu espanto a Caty estava com uma rapariga muito bonita e sorridente que eu desconhecia, talvez fosse uma amiga da faculdade! Aproximei-me delas e depressa me apercebi quem era a moça.
Joana – Boa tarde!
Catarina – Olá Ju!
Mariana – Oi!
Catarina – Mariana, esta é a minha amiga Joana, Ju é Mariana, irmã do Rodrigo.
Joana – Ah! Muito gosto em conhecer-te!
Mariana – Igualmente! E aí cê também tem seu namorado em campo? – perguntou a rapariga sorridente.
Joana – Sim…tenho – respondi a medo.
Mariana – Se acalma Joana, só perguntei porque hoje o treino é à porta fechada, e a maioria das raparigas é namorada ou mulher de jogador – olhando bem ela tinha razão, aquelas bancada só tinham namoradas e mulheres de jogadores!
Continuámos na brincadeira e na conversa, a Mariana tal como o irmão é muito simpática e muito é muito fácil gostarmos dela. O treino chegou ao fim e os rapazes foram até aos balneários, no entanto o Fábio não estava no campo a treinar, hoje ele tinha ido fazer os testes médicos para ver se estava ou não apto para regressar, no entanto ainda não havia novidades.

(Catarina)

Depois de almoçarmos todos juntos, acabei por nem ir para a faculdade. Não é coisa que faça com regularidade e por isso acabei por aproveitar o dia de hoje para conhecer a família do Rodrigo e acabar de vez com as minha dúvidas.
O Rodrigo tinha treino por isso desafiei a irmã dele a vermos o treino, algo que ela aceitou na hora. Estava um pouco ansiosa para saber os resultados dos exames do meu primo, mas com a conversa ao longo do treino com a Mariana e a Joana que apareceu mais tarde, acabei por relaxar.
Quando o treino deles terminou ainda não havia sinais do Fábio, assim sendo acabamos por seguir para nossa casa.
Rodrigo – Tenho a certeza que ele já treina amanha!
Nolito – Eu também acho que sim, ele já anda sem dores e tudo!
O som da porta a abrir fez-se ouvir e ali estava o meu primo com um enorme sorriso nos lábios.
Fábio – Fogo tanta gente! Parece que cheguei a Hollywood!
Catarina – Anda lá primo desembucha! Já estás bom?
Fábio – Amanhã já treino! – afirmou sorridente, deixando-nos todos muito felizes.
Rodrigo – Fábio, esta é a minha irmã Mariana, Mariana é o Fábio primo da Catarina.
Eles cumprimentaram-se e acabamos mesmo por começar a preparar o jantar para todos. A Andreia finalmente chegou e jantamos muito animados.
Andreia – E se saíssemos para comemorar?
Mariana – Eu acho muito bem! Aliás tou de férias e preciso de me divertir!
Acabamos todos por concordar e ligámos ao Ruben e ao David para virem também, eles aceitaram logo.
O Rodrigo e a irmã seguiram para casa para jantarem com os pais, iriam encontrar-se connosco mais tarde lá em casa, já a Joana veio connosco e o Nolito seguiu para sua casa.
O jantar foi a especialidade da Joana, Massa à Carbonara, que como já é habitual estava deliciosa.





Já depois de jantarmos a arrumarmos a loiça subido todos para os quartos para nos arranjarmos. A noite estava quente, ao abrir a janela é possível sentir a maravilhosa brisa que passava, mas também era possível observar o lindo conjunto de estrelas que brilhavam no céu. Talvez a beleza da noite também evidencia-se o amor e felicidade que sentia.
Acabei por tomar um duche rápido e vestir um vestido que há muito tempo não vestia, talvez porque o tinha vestido naquela noite que para mim trouxe muita amargura e infelicidade, talvez fosse a hora de ultrapassar todos os fantasmas e viver todas as emoções ao lado do Rodrigo.







Desci as escadas ao fim de me arranjar, e já lá estava o meu primo e a Andreia, a Joana desceu pouco depois e tenho a dizer que o Nolito ia babar completamente. Não fui a única a reparar e o meu primo acabou por meter logo a “colherada”.

Roupa da Andreia:



Roupa da Joana:













Fábio – Fogo Joana! É melhor ligar ao Nolito para ele trazer um daqueles babetes gigantes, é que ainda corremos o risco de escorregar em plena pista de dança de tanta baba!
Joana – E tu que não dissesses asneiras! Ele não precisa de babete nenhum, eu se fosse a ti tinha era cuidado com a tua namora e com a tua prima!
Fábio – A minha namorada só tem olhos para mim e a minha prima tem quem cuide dela.
Joana – Aí está, eu também tenho quem cuide! – gabou-se.
Alguns minutos depois já os rapazes tinham chegado, assim como a Mariana.

Roupa da Mariana:






Segui com o Rodrigo no carro dele, com a Mariana e o Nolito e a Joana foram no carro do meu primo com a Andreia. Fomos até à dicoteca Lux e à estrada já estava o David e o Ruben. No entanto ao lado da fila VIP estava alguém que me magoou muito no passado e não deixei de me sentir inquieta e nervosa, algo que não passou despercebido ao meu primo que me abraçou imediatamente vendo o Miguel a olhar-me diretamente. Assim entrei, agarrada a ele, o resto do pessoal já tinha entrado à nossa frente e só nós tínhamos ficado mais para trás.
Fábio – Catarina, ele não vem para esta zona, e se vier só tens de ignorá-lo. Aquilo em que ele se tornou nada tem a ver com as tuas atitudes enquanto namorada.
Escutei com atenção aquelas palavras do meu primo que me serenaram um pouco, mas o meu estado de nervos foi visível ao Rodrigo que me olhava preocupado, não sabendo de nada.
Rodrigo – O que se passa amor, ainda agora estavas bem porque é que estás assim nervosa?
Catarina – Não é nada amor, isto já passa – o meu primo olhou-me desagradado, eu sabia que ele preferia que eu contasse tudo ao meu namorado, mas aqui também não é o lugar ideal.
Rodrigo – Se preferires podemos ir embora!
Catarina – Não amor, viemos comemorar a recuperação do meu primo e nada vai estragar-nos a noite!
O Rodrigo lá acabou por mudar de assunto e fomos nos sentar ao pé dos outros, pedimos as nossas bebidas e começamos a conversar. Ao fim de algum tempo acabei por observar que o Miguel se encontrava numa mesa perto da nossa. Mas será possível que ele tem mesmo de estar aqui?! Perguntei a mim mesma, não obtendo qualquer resposta. Alguns momentos depois também a Joana e a Andreia reparam que ele ali estavam e mostraram a sua preocupação comigo, algo que deixou o Rodrigo muito inquieto.
Rodrigo – Mas afinal o que é que se está a passar aqui? Primeiro chegamos e ficas nervosa e aos segredinhos com o Fábio, agora não tiras os olhos daquele gajo, vê lá, não queres ir dançar com ele? – perguntou o meu namorado furioso, algo que não só me espantou a mim como aos restantes.
Fábio – Então puto, vê lá como falas com a minha prima!
Rodrigo – Será que dá para não te meteres, se fosse contigo também não gostavas!
Antes que me pode-se explicar o Rodrigo pegou no seu casaco e saiu da discoteca. Não esperava aquela reação dele, mas assim que ele saiu vi o Miguel sair disparado atrás dele, por isso eu segui para fora com eles, não quero que aqueles dois se falem, e muito menos que aconteça alguma coisa ao Rodrigo….
Quem será este Miguel? E o que irá ele fazer atrás do Rodrigo? Irão a Catarina e o Rodrigo ficar chateados?


Olá meninas : )
Desculpem esta demora em publicar alguma coisa, na realidade já há um bom tempo que não publico, e espero que não tenham desistido das minhas fics.
Este afastamento deveu-se não só à faculdade, mas especialmente a um problema de saúde que me desmotivou, mas agora parece já tudo se ter recomposto e por isso cá estou eu. Não prometo escrever todos os dias, mas pelo menos vou tentar postar mais regularmente.
Espero que gostem deste capítulo e que me deixem as vossas opiniões ; )

Beijinhos

Ritááá xD

domingo, 22 de dezembro de 2013

Feliz Natal : )

Olá meninas! Sei que tenho andado a falhar muito, já não posto à muitos meses, e provavelmente vocês já se fartaram de esperar e de me seguir. A verdade é que por muito que tente escrever o meu tempo não estica, e sempre que vou tentar escrever, algo se complica ainda mais. Este ano então foi mesmo muito complicado. Foram dias perdidos em consultas médicas, foi horas de sono, brincadeira, riso e de divertimento perdidas por causa do problema de saúde que descobri ter, tudo isto associado a esta nova etapa que é o primeiro ano de faculdade.
Espero realmente que o próximo ano seja melhor e que consiga associar os estudos e a escrita como vinha a fazer antes. Gostava ainda que aguentassem mais um bocadinho e que aguardassem por novos capítulos.
Quero também aproveitar para agradecer a todas as leitoras e também autoras de outras fics, com quem criei relações de amizade e apesar de não querer diferenciar nenhuma delas, queria dar um especial OBRIGADA à Fii pois ela sem dúvida me tem dado um grande apoio.
Aproveito para desejar a todas um Feliz Natal a todas, espero que o passem da maneira que vos faça mais felizes e também um próspero ano novo, recheado de sucessos!

Beijinhos a todas

Ritááá xD

domingo, 12 de maio de 2013

Capítulo 32 – “Quem terá sido?”


(Rodrigo)

Rodrigo – Dá-te assim tanta vontade de me limpares é? – disse provocando-a e indo na sua direcção. Acabei mesmo por me deitar sem toalha em cima dela enquanto lhe fazia inúmeras cocegas.
Catarina – Para por favor amor! Vai mas é vestir-te.
Rodrigo – Estamos aqui tão bem não achas?
Catarina – Acho, mas mais uns minutos e não respondo por mim.
Olhei-a a sorrir e acabei por beija-la um beijo bem intenso que só terminou com a entrada de alguém no meu quarto!
Esse alguém foi tão rápido que não conseguimos ver quem era.
Catarina – Quem terá sido?
Rodrigo – Não sei amor, mas quando chegarmos à sala vamos descobrir!
Vi que ela tinha ficado um pouco envergonhada, mas não estava preocupado pois sei a família que tenho, e sei que eles não são nada antiquados!

(Mariana – irmã do Rodrigo)

As minhas férias finalmente tinham chegado, no entanto apenas os meus pais sabiam que eu vinha para Portugal. O meu irmão ainda me ligou ontem mas não me descosi e não lhe contei da minha chegada.
Para não estragar a surpresa, acabei por apanhar um táxi no aeroporto e segui nele até à casa do meu irmão.
Ao entrar os meus pais saudaram-me e incentivaram-me a ir acordar o meu irmão, fazendo-lhe uma surpresa! No entanto a surpreendida fui eu, ao encontra-lo praticamente nu em cima de uma rapariga que eu não conhecia. Fechei a porta automaticamente e fui ter com os meus pais ainda um pouco surpreendida, algo que chamou logo os meus pais à atenção.
Carla – Então filha, que cara é essa?
Adalberto – Não surpreendeste o teu irmão?
Mariana – A surpreendida fui mesmo eu! – acabei por contar aos meus pais o que tinha visto e a minha mãe percebeu logo quem era a rapariga.
Carla – Deve ser a namorada do teu irmão, a Catarina!
Mariana – Eu nem sabia que ele namorava…
Rodrigo – Isso é porque não é uma noticia que se dê por telemóvel maninha! Então e estás cá e não me contaste que vinhas! – perguntou ao mesmo tempo que me abraçava. A tal Catarina estava um pouco tímida.
Mariana – Vim surpreender, mas tu é que me surpreendeste!
Adalberto – Bom dia Catarina!
Catarina – Bom dia – respondeu sorrindo, a rapariga é mesmo bonita!
Carla – Não sabia que tinhas dormido cá querida!
Rodrigo – Nós ontem chegamos tarde, vocês já estavam deitados – explicou enquanto dava a mão à sua namorada – já agora, amor esta é a minha irmã Mariana! Mariana é a minha namorada Catarina!
Mariana – Olá, muito gosto em conhecer-te!
Catarina – O gosto é todo meu!
Rodrigo – Bem apresentações feitas, vamos mas é tomar o pequeno-almoço! Que queres comer amor? – perguntou o meu irmão de forma carinhosa à linda rapariga.


(Nolito)
Depois de vestido fui até à cozinha preparar o nosso pequeno-almoço.
Já depois de tudo pronto, fui até ao meu quarto com o intuito de a chamar, no entanto algo de que não estava à espera aconteceu! Ao entrar no quarto a Joana estava nua, o que fez com que ela ficasse um pouco atrapalhada com a minha entrada.
Nolito – Desculpa amor, não sabia que ainda não estavas vestida – tentei justificar.
Joana -  Não faz mal, eu é que demorei um pouco mais no banho! – confessou envergonhada.
Nolito – Bem eu vinha dizer que o pequeno-almoço está pronto. Quando estiveres pronta desce!
Depois de lhe dar o recado, desci as escadas e fui até à sala, onde aproveitei para ver as noticias da Benfica Tv.
Passados alguns minutos a Joana desceu e fomos tomar o nosso pequeno almoço. Não falamos do que tinha acontecido, apenas aproveitamos para namorar e depois fomos passear por Belém.
Já lá, avistamos numa loja de roupa que precisavam de uma empregada, algo que chamou a atenção da minha princesa.
Nolito – Vais candidatar-te?
Joana – Acho que sim…estou a precisar de arranjar um emprego rapidamente!
Nolito – Se quiseres eu pergunto ao pessoal se sabem de algum emprego para ti!
Joana – Se não for muito incomodo agradecia.
Acabámos por almoçar por ali, e depois de passearmos mais um pouco e namorarmos, fui a casa buscar o meu saco do treino e seguimos para o seixal.

Conseguirá a Joana arranjar um emprego?
E as dúvidas da Catarina terão mesmo desaparecido?

Olá meninas!
Devo-vos um enorme pedido de desculpas pela minha ausência, mas além de estar em estágio houve algo que me complicou ainda mais a vida…Estou com um problema nas mãos que só se resolverá como algumas de vocês já sabem, como uma cirurgia : ( cirurgia essa que ainda não sei quando será! O que é certo é que me custa imenso estar no computador a escrever :x
Espero que compreendam e que mesmo assim não desistam das minhas fics!
Deixem-me os vossos comentários, e desculpem por o capitulo ser pequenino.

Já agora aproveito para aconselhar quem ainda não lê a fic “Puedo que no volvas mas, pero ya es parte de mi” que o faça! ( http://puede-que-no-vuelva-mas10.blogspot.pt/ )